quinta-feira, junho 25, 2009

Gente é gente mesmo que não seja como a gente.

Costumo dizer que gosto de gente.
Pode ser gente de todos os tipos.
Gente branca, gente negra,
só precisa ser gente.
Tento sempre entender gente,
mas não posso negar que gente
é bem complicada quando parece
não saber o que é ser gente.
Gente tem que ser
Gente tem que querer
Gente tem que doar
Gente tem que aceitar
Gente tem que deixar pra lá
Gente tem que saber
Gente tem que entender
Gente tem que precisar
Para ser gente tem que
esquecer o que dizem sobre gente
tem que se sentir gente.

Uma música para ilustrar

Gente
Caetano Veloso
Composição: Indisponível

Gente olha pro céu
Gente quer saber o um
Gente é o lugar
De se perguntar o um
Das estrelas se perguntarem se tantas são
Cada, estrela se espanta à própria explosão
Gente é muito bom
Gente deve ser o bom
Tem de se cuidar
De se respeitar o bom
Está certo dizer que estrelas
Estão no olhar
De alguém que o amor te elegeu
Pra amar
Marina, Bethânia, Dolores,
Renata, Leilinha,
Suzana, Dedé
Gente viva, brilhando estrelas
Na noite
Gente quer comer
Gente que ser feliz
Gente quer respirar ar pelo nariz
Não, meu nego, não traia nunca
Essa força não
Essa força que mora em seu

Coração
Gente lavando roupa
Amassando pão
Gente pobre arrancando a vida
Com a mão
No coração da mata gente quer
Prosseguir
Quer durar, quer crescer,
Gente quer luzir
Rodrigo, Roberto, Caetano,
Moreno, Francisco,
Gilberto, João
Gente é pra brilhar,
Não pra morrer de fome
Gente deste planeta do céu
De anil
Gente, não entendo gente nada
Nos viu
Gente espelho de estrelas,
Reflexo do esplendor
Se as estrelas são tantas,
Só mesmo o amor
Maurício, Lucila, Gildásio,
Ivonete, Agripino,
Gracinha, Zezé
Gente espelho da vida,
Doce mistério



Tenho andado meio perdida em como agir e pensar sobre algumas "gentes". Nossa, é tão difícil acreditar que com tanta informação, tantas formas de formação, ainda haja no século XXI pessoas tão presas a conceitos, julgamentos, críticas, condenando ainda à marginalidade os que não professam mesma fé, não seguem as mesmas tendências, não vibram pelas mesmas coisas, ou seja, ainda estamos vivendo em blocos, ainda estamos, como dizia minha mãe, "Puxando brasa para nossa sardinha."
Tento ser como dizia a música dos Tribalistas "Eu sou de todo mundo e todo mundo me quer bem" Claro que minha interpretação para a frase é a que se a gente que tenho ao meu redor é diferente de mim, mas tem muito de gente em si, quero essa gente para mim.
Grande abraço e um maravilhoso fim de semana.

quarta-feira, junho 17, 2009

Crônicas do cotidiano.

Quando ouvimos piadas sobre a ignorância das pessoas sobre a norma culta da língua rimos e nem sempre acreditamos que possa haver quem realmente a desconheça embora não a use em situações informais. Mas podem acreditar, existem sim pessoas que não só maltratam a Língua Portuguesa mas também a ignoram totalmente.
Tenho uma vizinha paraense e todos sabemos que eles usam a segunda pessoa e fazem corretamente a concordância e confesso que soa mal pois dá um tom muito formal à conversa e foi com ela que aconteceu o que contarei a seguir.
Ela conta que estava conversando com uma colega de trabalho e esta havia acabado de ter nenêm e ela então perguntou:
-Tu tiveste normal?
A colega respondeu em forma de pergunta, Hã?
Ela repetiu a mesma pergunta e a colega sem entender o porquê da pergunta respondeu:
-Me visto.
Minha vizinha não conteve a gargalhada.
Com a mesma vizinha, aconteceu também de uma outra colega perguntar-lhe sobre um recado que foi deixado na portaria. A pessoa perguntou se eles estavam sem síndico ao que minha vizinha respondeu que não sabia, que ninguém havia dito nada. Curiosa, ela perguntou o porquê da dúvida e a mulher falou que era por que estava escrito num recado deixado na portaria. A paraense então foi à portaria ler o recado e constatou que estava escrito.
"Senhores condôminos, é preciso economizar água no período do dia 26/06 a 01/07 pois serão feito reparos no castelo e o abastecimento será afetado. Sem mais, o síndico."

Depois dessas, não pude deixar de lembrar de uma piada em que a moça estava num baile funk e o rapaz suava muito e ela disse "Você sua hein??!!" Ao que o rapaz respondeu: "Eu também".
O que me deixa menos desesperada é que estes fazem parte de um grupo pequeno, um grupo um pouco maior comete pequenos deslizes na linguagem informal, mas se precisar sabe como recorrer a uma gramática para pelo menos só maltratar e jamais assassinar a nossa Língua que aceita estrangerismos e é bem flexível e que só quer ser bem tratada.

Ah, caso alguém precise de explicação para a piada, não se acanhe, pergunte.
Grande abraço e que tenhamos um maravilhoso fim de semana.

quinta-feira, junho 11, 2009

Mais uma vez e sempre o amor está no ar.

É dia dos enamorados, apaixonados, amantes, amados ou simplesmente acompanhados. Cada um tentando a seu jeito ser feliz e ficar bem. Somente isso pode explicar o namoro. Fora isso, ame somente a vida e as pessoas que fazem parte dela e a si mesmo.
Que o dia seja um convite para ficar juntos fazendo coisas prazerosas.
FELIZ DIA DOS NAMORADOS, que seja cheio de beijos e abraços gotosos.

Uma música para celebra o dia e desejando que o clima de romance permaneça por todo fim de semana e que o amor não seja eterno posto que é chama porém infinito enquanto dure.

Amor, meu grande amor
Não chegue na hora marcada
Assim como as canções
Como as paixões
E as palavras...

Me veja nos seus olhos
Na minha cara lavada
Me venha sem saber
Se sou fogo
Ou se sou água...

Amor, meu grande amor
Me chegue assim
Bem de repente
Sem nome ou sobrenome
Sem sentir
O que não sente...

Que tudo o que ofereço
É, meu calor, meu endereço
A vida do teu filho
Desde o fim, até o começo...

Amor, meu grande amor
Só dure o tempo que mereça
E quando me quiser
Que seja de qualquer maneira...

Enquanto me tiver
Que eu seja
O último e o primeiro
E quando eu te encontrar
Meu grande amor
Me reconheça...

Que tudo que ofereço
É, meu calor, meu endereço
A vida do teu filho
Desde o fim até o começo...

Amor, meu grande amor
Que eu seja
O último e o primeiro
E quando eu te encontrar
Meu grande amor
Por favor, me reconheça...

Pois tudo que ofereço
É, meu calor, meu endereço
A vida do teu filho
Desde o fim até o começo...(2x)

Grande beijo.

quarta-feira, junho 03, 2009

É implicância?

Muitos dizem que não gostam de assistir televisão comigo pois eu interajo demais, ou seja, fico dizendo que tal comportamento é inaceitável, que isso não existe, que provavelmente levará os desavisados de que o que está sendo veiculado na programação não é para se achar possível de viver na realidade, mas não adianta, eles vivem repetindo situações descabidas.
Hoje assisti a um pedaço de capítulo da novela Caminhos da Índia e mais uma vez vem a velha história do homem apaixonada por uma mulher que também o ama e mesmo assim não se acertam e tem uma outra que o ama também e no vai e vem dos encontros ela finge estar grávida e o cara acha que tem que se casar com ela e o amor é deixado de lado mesmo sabendo que serão três a sofrer já que estar casado por obrigação não transformará o que nem tinha nome em amor.
Mas o que mais me impressiona é o homem nem ao menos esperar para ver o que acontece, se a gravidez vai evoluir. Será que na vida real acontece esse tipo de coisa e eu é que nunca vivi por não acreditar ser possível acontecer?

Mudando de assunto, assiste no fim de semana passado à peça Hamlet. Mesmo sendo longa é muito interessante e olha que fora a celebre frase, "Ser ou não ser eis a questão" não conhecia nada do texto. Mas como nem só de arte vive o homem, tive meu momento tiete que ninguém é de ferro. rs





href="http://1.bp.blogspot.com/_OYgnKB0f0p0/SicuSma5RuI/AAAAAAAAAGo/urCwtb0VT54/s1600-h/Imagem+1066.jpg">

Grande beijo e maravilho fim de semana.