domingo, fevereiro 21, 2010

Mulher é bicho esquisito? E o homem?

Muito já foi dito, explicado, suposto, inventado, achado sobre esses dois seres que vivem juntos, separados juntos em todos os lugares, situações e condições.
Quando se fala em homem e mulher há que se pensar em vida pois tudo começa quando se juntam para formar um novo ser e é aí que a vida começa.
O que querem os homens? O que querem as mulheres? Todos temos uma resposta pessoal generalizada. Por que generalizada? Porque muitos de nós nos justificamos com o que é dito por temer a individualização, mas agimos mesmo de acordo com nossas próprias convicções.
O homem diz meu prazer é teu prazer. Desde que esse prazer venha do sexo mas e se o maior prazer da mulher vier quando ele de repente diz que ela ficou bem com aquela roupa ou que sentiu tesão quando ela deu aquela gargalhada por sua piada tosca ou que sentiu vontade de beijá-la quando ela saiu do banho.
Ah! isso é coisa de filme romântico, de novela, homem não é assim. Convenções.
Mudando de assunto. Se a mulher é independente por que ainda insiste em que o homem seja provedor? Por que não aceitar que ele tenha outros valores e aceite apenas que ele a ame e sejam felizes?
Numa relação o que é preciso é encaixe, não vale a máxima de que os opostos se atraem ou melhor, podem até se atrair, mas depois o que foi motivo de atração passa a ser a causa da separação.
Encaixe numa relação significa um querer o que o outro tem e está disposto a dar. Não adianta pedir o que o outro não tem ou não quer ter para dar. Assim, vamos ter certeza apenas do que queremos tudo mais é ajuste.
Grande beijo, uma linda, abençoada e produtiva semana para todos nós.

11 comentários:

Claudio disse...

Olá minha amiga. Como estão as coisas? Como foi de folia?

Este discussão - chamada até de Guerra dos Sexos - parece não ter fim. O que eu acho ótimo.
O dia que entendermos a mulher não teremos mais nada para conquistar.

Bjs

paula barros disse...

Vanna a impressão que tive é que o texto foi bem resumido e que em cada parágrafo a cabecinha tinha mais e mais pensamento.

O tema é bem vasto, bem intrigante, bem polêmico.

abraço

Andre Martin disse...

Concordo com a "resposta pessoal generalizada".

Os "por que"s do post são para serem respondidos, ou apenas parte da reflexão para seu post?

Achei que encaixou bem sua abordagem da "relação-encaixe".

Sim, muitas vezes motivos que atraem são os mesmo que repelem depois. Eu digo sempre que há fórmulas e "iniciação" sobre como desabrochar uma relação bem sucedida. Mas poucos são o que dão atenção ou se preocupam antecipadamente com a manutenção dela, de como será o depois, para que se torne um eterno durante (senão pelo menos o mais duradouro possível!) E se muito se basea nas mais expectativas e menos no ceder (ou ajustes, como você sugere), o desmache, desilusão e decepção podem ser esperados.

Recomeçar nunca é fácil. E o que nos leva a isto, geralmente é um processo doloroso...

Andre Martin disse...

Passei aqui para lhe dizer que seu comentário no TReMuSDaMiVi me inspirou outro post que publicado no Mesdre. Sua resposta virá lá, em breve.

Obrigado!

Andre Martin disse...

Ah, reconheço que muito tentei dizer, explicar, supor, inventar e achar sobre esses dois seres, entre um post e outro.
E sempre nada é conclusivo!
Mas um entendimento é necessário. Senão, pelo menos tentar é importante.

Valdeir Almeida disse...

Vanna,

Muito bom o texto.

O fato é que o homem está confuso nessa nova postura que a mulher está tendo na sociedade. Postura de não se curvar a ditames depreciativos.

O importante é que existem homens e mulheres, né? E eles se completam.

Abraços e espero você lá no meu blog.

Bom final de semana.

Leila disse...

não há diferença que não se renda ao amor!
não há desamor que não se renda ao colo de uma boa mãe
ao braço do Pai
na proteção de um homem
na paz de uma mulher

Andre Martin disse...

Ok. Sua resposta virou um baita post. rsrs
veja em http://mesdre.blogspot.com/2010/02/amor-de-carnaval.html

Antonio disse...

Querida :
Isso é assunto pro ano todo.Acho que o importante não são as respostas, mas as várias perguntas que ainda vão surgir. Confesso, que não sou inteligente, então não sei o que perguntar. Te desejo uma ótima semana.
Estou com um blog novo: o outro foi limado (não sei o que houve) http:ekr2.blogspot.com..Beijos

Luma Rosa disse...

Tanta coisa pra comentar deste post!!

Por natureza o homem quer conquistar e a mulher ser conquistada. A coisa degringola quando existe algum tipo de disputa [até mesmo, quem ama mais] e a convivência, de certa forma, se o casal não mantém diálogo, a disputa perde o controle. Para ilustrar essa 'disputa' vou dar exemplos: Amado chega em casa e diz "Estou cansado", a amada "Eu também" e daí começam as narrativas de um dia sofrido...
Essa disputa social dentro do relacionamento chega a ser bizarra quando olhada por 'estranhos', o "eu também", nem sempre quer dizer concordância, mas a armadilha da disputa, tipo "Não dormi a noite" "eu também".

Para não cair na monotonia cotidiana, não há necessidade de peripécias sexuais e sim de comportamento. Manter interesses diversos um do outro, manter as amizades que não são comuns, fazerem programas separados... contar novidades e principalmente, levar para dentro do relacionamento alegria.

Mas talvez o pior erro dos casais, seja o que concluiu no final do post - o esquecimento do porque estão juntos, o que motivou a união, as qualidades que antes eram vistas e que agora não são mais... ninguém pode almejar querer mudar o outro, ninguém muda a sua essência.

Bom fim de semana! Beijus,

Rico Salles disse...

Olá minha amiga, interessante o texto e passeim porque a muito já não vinha aqui. Boa semana! Bj!