segunda-feira, janeiro 28, 2008

O inferno nem sempre são os outros.

Bom dia queridos amigos.

Nova semana, o sol está descansando mas a chuva não tem trabalhado muito e isso é bom porque estamos aliviados do calor intenso mas não sofremos os transtornos de uma chuva constante. Mas é verão e eu sinto falta da luz e do calor que dão energia diferente aos que andam vagando perdidos em sentimentos, pensamentos, sonhos e vontades.

O texto abaixo alguns já receberam por e-mail, mas como eu o reli recentemente, resolvi postá-lo.
Grande beijo para todos que estes dias pré-carnavelescos sejam produtivos, divertidos e abençoados.


Melindre ou Agressividade?

Melindre tem várias definições. Pode ser definido como amabilidade, delicadeza no trato, recato, pudor.

No entanto, é quase certo que ao ser utilizado pelas pessoas, o conceito que expressa é de facilidade de se magoar, de se ofender, suscetibilidade.

Nesse sentido, tem sido comum a sua invocação, nas relações humanas. As menores atitudes de um funcionário, de um amigo recebem a adjetivação imediata.

Por isso, amizades se diluem, desentendimentos acontecem, duplicando mágoas de um e de outro lado.

Nas várias facetas do trabalho voluntário, melindre tem sido utilizado para justificar defecções, traições, desajustes e quebra moral de contratos de voluntariado.

Que ele existe, é verdade. Mas que as pessoas se dão, por vezes, um valor maior do que verdadeiramente possuem e aguardam tratamento especial, também é verdade.

No entanto, um outro lado da questão se apresenta e tem sido esquecido, quase sempre.

Se melindre é a manifestação do orgulho ferido, não menos verdade que medra, entre as criaturas, muita falta de tato, delicadeza e gentileza.

Em nome de uma falsa caridade, de expressar a verdade, amigos e companheiros de trabalho se permitem lançar ao rosto do outro tudo que pensam.

E não medem palavras nas suas expressões. É como se tomassem de pedras e as jogassem, sem piedade.

E o que esperam é que o outro aceite tudo. Quando o agredido se insurge, quando toma uma atitude, quando fala de respeito, é tomado como aquele que se melindra.

Contudo, em nenhum momento o agressor, aquele que foi indelicado e feroz, se desculpa. Não, ele está certo. O outro é que é portador de muito orgulho.

Nesse diapasão, vidas honradas de trabalho têm sido literalmente jogadas no lixo. Servidores de anos têm tido seus esforços depreciados, como se fossem coisa alguma.

E o que critica maldosamente, o que aponta os erros mínimos é o herói, a pessoa correta.

Refaçamos os passos enquanto é tempo. Antes de destruirmos valores afetivos preciosos. Antes de atacarmos instituições centenárias com folha irrepreensível de dedicação e serviço à comunidade.

Examinemos quantas vezes a culpa nos compete. Quantas vezes teremos sido nós os provocadores do afastamento de pessoas de nosso convívio.

Ou da instituição a que prestamos serviço. Da nossa família, da nossa esfera de amizades.

Recordamos que, certa vez, em reunião de trabalho, um voluntário interrompeu de forma agressiva a fala do coordenador.

Reclamou e reclamou, ferindo e humilhando-o frente aos demais.

O ferido se calou, dolorido. Depois de alguns dias, procurou o agressor em particular. A sós com ele, expressou a sua mágoa, com o sincero objetivo de modificar a emoção ferida e apaziguar seu mundo íntimo.

O interlocutor, em vez de reconhecer a indelicadeza, reverteu a situação e deu o diagnóstico impiedoso: não houvera agressão de sua parte. O outro é que se melindrara.

Pensemos nisso. Será que a constatação quase diária de melindre nos outros não se tornou uma válvula de escape para nós?

Uma desculpa para a nossa rispidez cotidiana, o nosso relaxamento no trato com o semelhante

Quem se melindra, deve trabalhar para se tornar menos suscetível.Mas quem provoca o melindre não pode se esquecer da lei de caridade, da afabilidade e da doçura preconizados por Jesus: Bem-aventurados os mansos e pacíficos.

13 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

Bem-aventurados os que aos outros respeitam.
Pois é Vanninha, também sinto falta do sol quente, verão é verão e Rio de Janeiro não combina com céu cinza e chuva fina...
dias lindos querida
beijos

Francine Ribeiro disse...

Bom dia! tema bom desse texto. Penso mto sobre isso! e confesso que não é fácil, vários momentos, dizer quem está com a razão..
Gostei mto disso: "Mas que as pessoas se dão, por vezes, um valor maior do que verdadeiramente possuem e aguardam tratamento especial, também é verdade." Um pouquim de humildade não faz mal à ninguém!
ótima semana pro c
Fran

Anônimo disse...

Olá...
Gosto deste tempo assim.
O texto é muito interessante.
bjs
beto.

paula barros disse...

Vanna, o texto realmente retrata o que tem acontecido em muitas relações. E ainda tem aqueles casos que quando o que se "melindra", responde , ainda é taxada de agressivo. E o "agressor", diz que estava só brincando, o outro é que não entendeu, ou não tem senso de humor.
Um ótimo texto para refletirmos.
beijos

Bel disse...

O fim foi agitado mas muito gostoso .
espero ficar livre das dores mesmo !
Bjs .

Lenny disse...

Calor não me agrada , adoro esse tempinho assim .
Que dia será o encontro?!
E o carnaval vai viajar?
Beijokasss

Claudio disse...

Olá minha amiga. Que verão é esse??? Imagina um turista que vem se deliciar com as praias no verão carioca?
Quanto ao melindre, fico com o poeta das ruas do Rio. Gentileza gera gentileza.
Mil beijos e um ótimo dia.

Mirinha!!! disse...

Esse texto é muito bom! Acho q todos nós estamos passando por isso. São as transferências de erros e culpas. É sempre bom ler o seu blog. Grande Bjo!

Liz / Falando de tudo! disse...

Na sua visita no meu cantinho você me perguntou se o ator que faz o novo 007, seria o que morreu semana passada, nao é nao querida, o que morreu era bem mais jovem.
Muito obrigada pela visita.
Eu também tenho sentido falta da luz dos sol por aqui...mas o que fazer, né?!

Edson Marques disse...

Vanna,


sim, "bem-aventurados mansos e os pacíficos", mas, de vez em quando precisamos "expulsar os vendilhões do Templo"!


Há mais de quinze anos que não perco a calma.

A agressão moral tem que ser efetuada E recebida.

Se não a recebo, nem a concebo como tal, ela perde a eficiência.

Isso me é claríssimo.

Abraços, flores, estrelas..

Márcia(clarinha) disse...

Ótimos dias de carnaval Vanninha, alegres e em paz sejam todos eles.
meu carinho procê, beijos

Bel disse...

Parece que nosso encontro finalmente vai sair !!!
Bjs , Bel .

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,酒店,